O recordista de intercâmbios - Egali Intercâmbio
Eu fui de Egali
Inglaterra

O recordista de intercâmbios

Atualizado em 23 de maio de 2017

O Alexandre já fez 10 intercâmbios com a Egali. Isso mesmo: DEZ! Ele nos contou para quais lugares ele foi e falou um pouquinho sobre suas experiências durante essas viagens.

A história dele é incrível! Confira a seguir:

 

O recordista de intercâmbios

 

Os intercâmbios

Meu nome é Alexandre Foch Severo da Silva, estou com 52 anos (quase 53 🙂 ). Sou professor de inglês como língua estrangeira e, às vezes, atuo também como professor de português como língua estrangeira.

Já tinha feito um intercâmbio em 1990, quando fiz um curso para professores no estado de Minessotta, nos Estados Unidos. Conheci a Egali em 2008, através da secretária de uma escola em que trabalhei, que falou da agência. E gentilmente, vieram duas pessoas de Porto Alegre para me atender.

Daí, decidi fazer um curso de 2 semanas em Londres,  e depois fui para Cambridge. Tive aquela paixão por Londres e ai nasceu minha paixão pelo intercâmbio e também pela Egali.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-01

Em 2008, começando com esse intercâmbio em Londres (que foi em janeiro), fui em julho para Nova York e fiz um curso de 1 semana por lá. Já em 2009, fui para Londres de novo e fiz 2 cursos: de manhã o de inglês geral e à tarde eu fazia um curso direcionado para a minha área de professor.

Fiz um pequeno descanso em 2010. E em 2011, fiz mais um intercâmbio para Londres, porque a paixão foi enorme.

Em 2012, o plano era fazer outro pequeno descanso, pois estava angariando fundos para fazer mais um intercâmbio. Porém, no dia do meu aniversário, eu recebi uma ligação da Egali. E, através do programa Pontu-E, me ofereceram uma passagem com 4 destinos como opção. Eu escolhi Londres e decidi também fazer outro curso. Pensamento positivo atrai coisas positivas, é a lei da atração.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-02

Ficando contente com isso, em 2013, eu retornei à Egali e mudei o destino para Dublin, na Irlanda. Porém, antes dei uma passada de 3 dias por Londres.

Em 2014, voltei à Londres e fui para outra escola. Em 2015, eu retornei novamente à cidade, desta vez, como Trip Leader.  Levei alguns estudantes da Universidade de Caxias do Sul que estavam fazendo intercâmbio por lá.

Fiz outro pequeno descanso em 2016. Já em 2017, mudei o destino e a língua e fui para Barcelona no começo do ano. Vamos ver o que vem no resto de 2017, em 2018, em 2019, em 2020 e até aonde eu posso.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-04

 

Por que Londres?

Como eu leciono inglês, eu tenho uma paixão pela língua. Antes, eu só tinha um pé nos Estados Unidos ou no Canadá e tinha um certo preconceito com o inglês britânico. Porém, ao chegar em Londres, perdi totalmente esse preconceito.

Acabei me apaixonando pela língua, pela cultura, pelo país, pela Europa e pela excelência do ensino da língua. Comparando com os Estados Unidos (que não possui um ensino ruim), pude ver que o ensino da Inglaterra é bem mais forte.

Então, foi uma paixão a primeira vista e de outras vidas também.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-03

 

A experiência de viajar

Eu digo que a melhor coisa de viajar é viajar em si. Porém, o mais importante é expandir a consciência, tornar-se uma pessoa melhor. A gente fica mais tolerante, conhece pessoas… Para mim, viajar é uma paixão inenarrável, pois você recebe muita coisa boa.

Sim, há momentos ruins. Isso pode acontecer, mas a gente aprende com esses momentos. Pequenas coisas acontecem, às vezes pode ser a fila de imigração, algum perrengue ou pequeno imprevisto, mas é nesses momentos em que ficamos mais fortes.

Por exemplo, aconteceu uma coisa comigo quando eu fui Group Leader.  Eu tive que fazer o uso do seguro viagem pela primeira vez. Isso porque eu fui acometido por uma pulpite (uma dor terrível de canal), foi uma coisa bem inusitada. Nunca pensei na vida que eu teria que fazer um tratamento de canal em um país estrangeiro. A dor foi insuportável, mas venci e vi o quanto o seguro é importante.

A cada viagem que eu faço, a cada intercâmbio, eu me torno melhor, mais evoluído. O aprendizado é infinito, sempre tem alguma coisa para aprender, mesmo indo para o mesmo lugar. Cada vez em que eu fui para Londres foi uma coisa diferente. Estava com outra idade, com outros olhos, com outras pessoas ao redor.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-06

 

A Egali

Em 2008, quando vieram aquelas duas pessoas especialmente para me atender lá de Porto Alegre, eu achei que a Egali era um escritório de intercâmbio pequeno. Depois, no meu intercâmbio seguinte, eu já pude ver o aumento do número de escritórios em outras partes do Rio Grande do Sul. No ano seguinte, eu vi a Egali em outras partes do Brasil e depois foram criadas as Bases em Londres e em outros países.

E eu pensei “nossa, que crescimento!”, e me senti crescendo junto com a Egali. Quando me perguntam por que eu optei pela Egali, eu digo que é por causa do atendimento. As respostas são sempre imediatas, os alunos que eu encaminhei, por exemplo, sempre foram muito bem atendidos.

Já recebi propostas de outras agências e bati o martelo dizendo não, e falei as razões pelas quais eu optei pela Egali. Em 2016, eu não fiz um intercâmbio, mas fiz uma viagem para os Estados Unidos, e assim mesmo, a Egali me deu uma baita força na hora da compra das passagens. Não foi um intercâmbio, mas eu considero como uma ajuda, que foi super bem feita e eu sou eternamente grato.

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-08

 

Próximos destinos

Dentre todas as cidades que eu já visitei, as que eu mais gostei foram Londres, Nova York e Barcelona.  É claro que eu gostei de todas as outras também, mas essas 3 cidades mexem comigo, são minhas amadas.

Londres sempre está lá, mas estou com vontade de voltar para a Espanha. Sem contar que ainda tem a França, a Itália, a Alemanha, a Áustria, a África do Sul, Austrália e Nova Zelândia. E também cogito conhecer alguns países da América Latina como México, Colômbia, Chile e a Argentina (que eu gosto muito).

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-07

 

Sem limites

Eu acredito que não haja una idade limite para intercâmbio. Por exemplo, eu sou um “cinquentão” e tive contato com muitos jovens, e isso foi ótimo. Se eu fosse pensar assim: “ai eu vou fazer coisas de gente quase na terceira idade”, eu estaria ferrado.

Conheci uma senhora de 70 anos, que não estava fazendo intercâmbio, mas estava viajando. Ela era muito jovial em todos os sentidos. E eu falei que fazia intercâmbio, escola, e ela ficou com vontade estudar a língua estrangeira, aconselhei que ela fizesse isso.

Já me disseram que eu voltei dos meus intercâmbios um pouquinho mais guapo, mais jovem… Vou começar a acreditar nisso!

egali-intercambio-o-recordista-de-intercambios-05

 

Eaí, curtiu a história do Alexandre? Você pode conferir tudo que ele falou no vídeo abaixo:

 

Se você já fez o seu intercâmbio com a Egali e quer contar pra gente como foi, responda o nosso questionário e mande as fotos para o e-mail marketing3@egali.com.br!

Logo, logo, você poderá aparecer aqui no blog! 😍

E, caso você ainda não tenha feito um intercâmbio, e tenha muita vontade de fazer, é só entrar em contato com a gente por aqui. 🙂

  • egali
    Por egali