Meu intercâmbio em Saint Julian’s | por Tainá Mazza - Egali Intercâmbio
Eu fui de Egali
Malta

Meu intercâmbio em Saint Julian’s | por Tainá Mazza

Atualizado em 17 de novembro de 2017

A Tainá foi de Egali para Saint Julian’s, em Malta, e adorou a experiência! Confira a seguir o depoimento super emocionante que ela mandou para gente. ❤️

E se você tem interesse de fazer um intercâmbio em Malta, converse com um de nossos consultores aqui.

 

Meu intercâmbio em Saint Julian’s | por Tainá Mazza

 

1. A Cidade

Viver durante um mês (só!) em Saint Julian’s foi incrível! A cidade é super aconchegante, eu realmente me senti em casa principalmente por causa do jeitinho de cidade do interior, mas com badalação de uma capital.

Paceville, bairro em que fica o Egali Hostel, simplesmente não para, não dorme e é o foco das baladas, com uma rua inteira cheia de clubes para você entrar e sair hora que quiser. O melhor é que tudo é free!

Saint Julian’s é uma graça, assim como outras partes de Malta, o que mais me chamou a atenção lá é a qualidade de vida. Você poder ir sozinho à praia, e deixar todas as coisas na areia enquanto entra no mar, pode andar às 3 da manhã até o hostel se sentindo muito seguro. O transporte público é de qualidade (ok, às vezes, o ônibus demorava para chegar, por causa da alta estação, mas tinha até ar condicionado, o que aliviava o calor de 40 graus). Além disso, Paceville é muito bem localizado, ficando perto de mercados, restaurantes, bares, farmácias, etc.

Sinto falta de tudo! Saudade das comidas e dos lugares, mas principalmente de todas as pessoas que eu conheci.

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-01

 

2. Vida noturna

A vida noturna é bem intensa por lá! Não frequentei todos os bares, mas dos que eu fui, eu indico o do Hugos (muitos estabelecimentos por lá são dele, praticamente dono de Malta!). Esse clube tem um wi-fi muito potente, que possibilita compartilhar tudo o que acontece em tempo real.

Outro lugar que eu gostei foi o Qube – The vodka bar. Mas as noites no terraço do hostel eram muito gostosas também, parecia uma grande família com integrantes de várias partes do mundo, comendo, conversando, curtindo um som… Era uma delícia!

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-03

 

3. A gastronomia

Em Saint Julian’s predomina a influência da comida italiana (Benza Deus!), muita pasta mesmo, pizzas, lasanhas e macarrão quase que em toda esquina. É claro que não posso esquecer de mencionar a carne de coelho, o prato típico de Malta.

Mas eu me esbaldei mesmo com o gelatto, são os melhores sorvetes que eu já provei e ficarão sempre na minha lembrança. Aliás, em Valetta, capital de Malta, você encontra um em formato de flor, na sorveteria Amorino. Já foi avisando que esse sorvete é daqueles de dar pena de tomar de tão lindo!

Ah, não dá para deixar de fora o bolo de chocolate em Mdina, é grande, bem recheado e de comer rezando.

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-02

 

4. Compras

Lá, você vai encontrar muitas lojas de roupas e de perfumes, mas eu sou bem desapegada dessas coisas… Então, eu comprei um único perfume na loja da Zara no shopping The point por €10,00.

Você encontrará opções de compras para todos os bolsos e gostos, mas eu queria mesmo era gastar com comida e passeios.

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-04

 

5. Os passeios

É bem difícil indicar um único passeio por lá, cada cantinho de Malta tem sua beleza particular. <3

Quem vai até lá não pode deixar de conhecer alguns lugares como a Blue Lagoon, que tem uma beleza surreal! De verdade, parece que te colocaram dentro de um quadro.

Outro espetáculo da natureza é a Ilha de Gozo, onde tinha a Azurre Window,  que desmoronou em março desse ano.  Mas a beleza do lugar não deixa a desejar por causa disso.

Outro passeio que vale a pena é a feira de Marsaxlokk, onde você poderá encontrar lembranças por um preço acessível e muitas comidas diferentes de cultura brasileira.

Não deixe de conhecer a capital Valletta, que é muito charmosa com todas as suas ruas estreitas de cor bege. É realmente uma graça!

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-06

 

6. A Egali

O Egali Hostel além de ser bem localizado, é super acolhedor e com pessoas que passam a ser sua família lá. A equipe do hostel está sempre disposta a ajudar, dando dicas sobre o país e sobre qual a melhor programação para determinado dia da semana.

A Egali foi muito importante para que apesar do medo do desconhecido eu pudesse saber que tudo daria certo, que eu não estava sozinha, se algo acontecesse eu teria o suporte necessário.

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-005

7. A experiência

Minha adaptação foi bem tranquila, e muito melhor do que eu esperava. A oportunidade de conhecer novas pessoas e culturas é impagável, pude conviver, dormir e acordar ao lado de pessoas de diversas partes do mundo e isso transforma a nossa mentalidade. Você passa a ter empatia e admiração por todas as culturas e isso é o melhor ensinamento que essa experiência pode deixar.

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-08

 

 

Meu top 5 Saint Julian’s

1. Foi minha primeira viagem de avião! Foram 21 horas de viagem, com escala em Dubai, fui não sabendo se eu ia “dar conta”, mas foi transformador. Você percebe que o mundo está aí te esperando para conhecer cada cantinho que você sonha, e que todo mundo pode ter essa experiência.

2. O povo maltês é bem receptivo, falam meio alto por causa da influência italiana. Às vezes você pensa que eles estão brigando na rua, mas logo percebe que é só o tom da voz. O “sorry” deles deixa saudades em todos, eles não dizem “sorry” como nós, dizem algo com som de “SORI” é um sotaque bem engraçado, mas que vai te fazer ficar apaixonado pelo país!

3. Viver toda a intensidade do intercâmbio é a melhor parte. Parece que você está num reality show, onde você percebe que a boa convivência depende de todos. Você precisa ter noção que não está na sua casa, aprender a pensar no outro o tempo todo, percebe que precisa de pouco para ser feliz e cria uma família.

Minha “família” era composta por brasileiros, uma mexicana, um colombiano e um francês. Ainda conheci pessoas da Itália, Irlanda, Japão, Korea, Rússia, Espanha, Nova Zelândia, Chile… Parece que o mundo todo estava lá <3

4. Um intercâmbio em um país da Europa te dá possibilidade de conhecer outros lugares por um preço acessível. Fiquei um final de semana em Paris, onde me peguei chorando aos pés da Torre Eiffel. Isso é algo que não fazia parte da minha realidade, e foi possível! Por isso, onde eu passava era uma choradeira hahahah, um misto de sentimentos, muita alegria e emoção.

5. Todos os dias eu acordava e sabia que tinha tomado a melhor decisão da minha vida, sair da zona de conforto em busca de conhecimento pode parecer assustador, mas logo que cheguei a realização desse sonho foi algo mágico. Agradeço muito a Deus pelas condições que me deu para que isso acontecesse principalmente saúde e coragem.

Agradeço a todos que viveram essa experiência comigo, desde que o sonho começou a tomar forma, a minha irmã que me apoiou diariamente, e ao meu pai (que com o coração pequenininho me deixou no aeroporto e torceu para que nada desse errado). Aos que encontrei no decorrer dessa jornada também, cada um de vocês foi essencial para que tudo acontecesse melhor do que eu esperava. E a Egali, que me deu o suporte necessário, desde o primeiro contato até o retorno ao Brasil. Muita gratidão a todos!

egali-intercambio-meu-intercambio-em-st-julians-por-taina-mazza-07

 

E aí, gostou do depoimento da Tainá? E, se você já fez o seu intercâmbio com a Egali e quer contar pra gente como foi, responda o nosso questionário e mande as fotos para o e-mail marketing3@egali.com.br!

Logo, logo, você poderá aparecer aqui no blog!

E, caso você ainda não tenha feito um intercâmbio, e tenha muita vontade de fazer, é só clicar aqui.

  • egali
    Por egali