Depoimentos: Qualquer lugar do mundo | Quézia - Egali Intercâmbio
Eu fui de Egali
Malta

Depoimentos: Qualquer lugar do mundo | Quézia

Atualizado em 05 de janeiro de 2018

Em 2017, nós fizemos uma promoção na qual oferecemos um intercâmbio com tudo pago para qualquer lugar do mundo! Nosso plano era dar não só um, mas quatro intercâmbios para as pessoas que nos enviassem os melhores vídeos contando o porquê elas mereciam ganhar a promoção.

A Quézia foi uma desses vencedores e acabou ganhando um intercâmbio para Malta! Ela nos mandou um depoimento super legal contando como foi a experiência de fazer um intercâmbio com Egali. Confira a seguir!

 

Depoimentos: Qualquer lugar do mundo | Quézia

 

St. Julian’s é sem dúvida uma das cidades mais movimentadas de Malta. Ela é repleta de bares e muitos, mas muitos restaurantes. Além disso, toda a costa da cidade é banhada pelo mar mediterrâneo. Viver a experiência de fazer meu segundo intercâmbio nessa cidade foi uma “escolha” maravilhosa – apesar de não ter sido minha.

Lembro que uma das primeiras impressões que tive logo que peguei a estrada em direção ao hostel: “Que lugar sem cor”. Logo eu, que adoro cores. Já comecei a me perguntar como seria a vida das pessoas em um lugar com aparência desértica. Não foi à toa que me surpreendi quando vi um único prédio todo colorido a caminho da escola. “Ufa, existe cor em Malta”.  Porém, esse foi apenas um dos detalhes me chamou atenção em Malta.

 

Em poucos dias, percebi que na realidade a ilha de Malta é repleta de cores e vida. Os prédios são brancos, mas as portas, janelas, mesas de restaurantes, números de casa são coloridos e isso é lindo. Dá uma sensação de paz, que confesso que quando voltei ao Brasil senti que preferia aquela monotonia de cores.

Apesar das casas de festas serem o point de St. Julian’s durante a noite, eu optei por conhecer outros lugares. Como eu disse, St. Julian’s possui uma vasta opção de restaurantes, então a maior dificuldade era escolher onde jantar. Por estar localizado logo abaixo da Itália, Malta recebe muita influência da culinária italiana. Então não faltou massa, pasta e claro, duas colheres de sorvete após todos os passeios.

 

Logo que eu cheguei à Malta, estabeleci um limite financeiro para cada dia a fim de juntar um dinheirinho para comprar lembrancinhas ou coisas que me interessassem ao longo da viagem. O que foi uma ideia maravilhosa, já que eu consegui gastar bem menos em alguns dias e gastar à vontade no final.

Eu ainda não viajei para os Estados Unidos, mas acredito que a lógica de gastar dinheiro com roupas no território norte-americano se aplica a Malta, quando o assunto é restaurante. Não no sentido de ser barato, mas de valer mais a pena. Malta é uma ilha, logo, além de ser difícil encontrar grande variedade de coisas, você também fica limitado aos preços, especialmente quando busca por aparelhos eletrônicos.

A boa notícia para quem quer acrescentar algumas peças ao guarda-roupa é que existem várias lojas com descontos e promoções, mas eu não sei se isso acontece sempre ou foi liquidação por conta da mudança de estação.

 

Já dizia Mário Quintana: “viajar é trocar a roupa da alma”. Deve ser por isso que é tão difícil resumir em um texto a quantidade de pontos positivos que um intercâmbio pode acrescentar na vida de alguém. Além de sair da rotina e descansar a sua mente dos assuntos cotidianos, você aprende coisas que jamais aprenderia sentado em frente ao computador lendo sobre experiências de outras pessoas, por mais detalhadas que elas sejam.

Quando você faz uma viagem internacional, você passa a ver com mais clareza as qualidades do seu lugar de origem, até porque para ver os defeitos não é preciso sair do país. Você aprende a ser mais tolerante com as pessoas ao redor e passa a perceber que mundo vai muito além da bolha na qual está inserido.

 

Mas uma das maiores lições que eu aprendi durante o período de intercâmbio – tanto no de Malta quando da Austrália (que foi minha primeira experiência) – foi a valorizar o tempo. Quando você chega a algum lugar e se liga que só tem poucas semanas ou meses para explorar aquele pedaço de terra, a tendência é se organizar para encaixar todos os lugares possíveis dentro da agenda.

Sem essa noção de tempo e sem essa euforia por aproveitar a vida, a gente cai no “amanhã eu faço”, “semana que vem eu vou” e posterga para amanhã o que poderia ser feito hoje.

 

Durante o intercâmbio, eu e os quatro ganhadores da promoção ficamos hospedados no Egali Hostel. Além de possuir uma ótima localização – a menos de 10 minutos da escola, do mercado, de inúmeros restaurantes e da parada de ônibus – o local tem uma estrutura nova e agradável.

Lá eu tive a oportunidade de conhecer pessoas de outros estados do Brasil e claro, pessoas de outros países. Pude praticar o inglês e conhecer um pouco mais sobre a cultura de outras nações. Outra coisa legal é que a Egali oferece aos alunos é uma parceria com diversas lojas e restaurantes que garante descontos na hora de compra.

 

Para finalizar, um top 5 dos lugares que visitei:

1. Blue Grotto, Malta

Foi o primeiro lugar onde mergulhei em Malta. Lindo de cima e mais lindo ainda visto das profundezas durante um mergulho. Observação: não tenha medo de investir em óculos resistentes. Como a maioria das praias de Malta são de pedra e não de areia e a água é bastante salgada, você vai acabar precisando dele muitas outras vezes, seja na hora de pular ou nadar.

 

2. Karaokê Russo, St Julians

Do lado de fora você não dá nada, mas quando você entra o ambiente é tão aconchegante que você vai ter vontade de voltar todos os dias. Ah, e boa notícia: você não precisa pagar nada pelas músicas, somente pelo que consumir. As músicas são cobradas somente a partir de um horário durante os finais de semana. Sem dúvida, foi um dos lugares onde eu mais me diverti.

 

3. Blue Lagoon, Comino

Sem dúvida um dos lugares mais paradisíacos em que já estive. Imagina uma piscina natural com mais de 100 metros de extensão? Você pode ir nadando ou caminhando até a outra margem da pedra, da qual você consegue avistar o mar. Além disso, se você seguir pela ilha por uma caminhada de 10 a 15 minutos você chegará à Comino Tower, o lugar onde foi gravado o filme “O Conde de Monte Cristo”. Vale super a pena!

 

4. Valleta, Malta

Eleita a capital da cultura europeia 2018, Valleta possui uma bela arquitetura desde o início ao fim, além de várias lojinhas e restaurantes. Se tiver tempo, assista o pôr-do-sol no local mais alto que puder. Será uma experiência inesquecível.

 

5. Dwejra, Ilha de Gozo

Apesar de eu ter ficado pouco tempo na ilha, conheci dois lugares incríveis para nadar. O primeiro é uma gruta, que se você atravessar vai chegar no mar e ver o reflexo de azul mais lindo de Malta e o segundo é no local da antiga Azure Window. Apesar dela ter sido derrubada por uma catástrofe, o local continua bonito e com uma espécie de piscina natural enorme e funda – perfeita para quem gosta de mergulhos.

E aí, curtiu o depoimento da Quézia? Legal, né?! E se você quer saber um pouco mais de como foi essa viagem, confira a nossa websérie:

 

Ficou com vontade de fazer um intercâmbio? Então, entre em contato com a gente por aqui. Em breve, um de nossos consultores falará com você.

  • Por
Olá! Posso Ajudar?